Como fazer uma boa gestão em segurança do trabalho?

Hoje nosso convidado Paulo Leal nos ensinas como fazer uma boa gestão de SST baseada numa partida de Xadrez. Vamos lá aprender?

O XADREZ E A SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL

Qual a relação do xadrez com a Segurança e Saúde Ocupacional?

Inicialmente temos de ter o entendimento de como se joga xadrez e seus fundamentos.

Ao jogarmos xadrez, o nosso cérebro é desafiado a exercitar a lógica, a desenvolver reconhecimento de padrões, a tomar decisões tanto visuais como analíticas e a praticar a boa memória. Além disso, essa prática desenvolve capacidades de resolução de problemas, ajuda na criatividade e na concentração.

10 lições adaptadas a SSO que o xadrez nos ensina.

1 – A capacidade de se adaptar é crucial.

“Você não se torna um bom profissional de Segurança e Saúde Ocupacional sem a capacidade de trabalhar em diferentes segmentos ou atividades quando necessário. Às veze você é forçado a lutar em terrenos estranhos; e não dá para simplesmente correr quando as condições não são do seu agrado.”

2 – Mudar a estratégia demais é igual a não a ter.

“As mudanças são essenciais. Mas elas só devem ser feitas após uma consideração cuidadosa, técnica e buscando a segurança e saúde do trabalhador. Apenas quando o ambiente tem uma alteração brusca você deve descartar sua estratégia inicial e mudar para uma nova. Siga o seu plano, com pequenos ajustes ao longo do caminho.”

3 – É preciso unir estratégia e tática.

“Há um ditado que afirma: planejamento sem ação é fútil, ação sem planejamento é suicídio. Para dar os passos certos, você precisa saber aonde quer chegar. Se a estratégia representa o fim, a tática representa os meios, então planeje com assertividade suas ações.”

4 – Se um homem possui talento e não o usa, então falhou.

“As grandes realizações são alcançadas por pessoas que unem o talento ao estudo, se mantendo sempre atualizado. Daí a importância de se esforçar mais do que os outros se você quer ir longe.”

5 – Originalidade é fundamental.

“Cada mente aborda um problema de forma diferente, porque ela traz um conjunto singular de experiências e vivências. E experiência não é somente relacionada ao tempo, pois a vivência é o que acontece com o profissional e como ele reage ao que acontece com ele. Praticamente toda grande descoberta humana foi resultado de um conhecimento anterior, trabalho duro e um pensamento sistemático para fugir do comum.”

6 – O sucesso é inimigo do sucesso futuro.

“A complacência é perigosa, ou seja, se manter em uma zona de conforto sem se manter atualizado. Satisfação leva a falta de vigilância, erros e oportunidades perdidas. Lembre-se: O mercado de trabalho é dinâmico e cada vez mais exigente e as legislações passam por atualizações, onde as cobranças podem emergir por sua negligência.”

7 – Para que ter medo de errar?

“Já dizia o fundador da IBM que, se você está buscando o sucesso, deve dobrar a sua taxa de erros. Se você não está falhando pelo menos ocasionalmente, é porque não está assumindo os riscos de inovar. Sem um risco genuíno, é quase impossível progredir, ou seja, você tem se mantido atualizado? Qual o seu nível de conhecimento atual? Quais são suas limitações?”

8 – A ambição é boa.

“Quem disputa uma corrida querendo ficar em segundo? Qual a sua busca profissional? Onde você quer chegar profissionalmente e pessoalmente? Limitar nossas ambições é limitar nossas realizações.”

9 – É preciso conviver com a pressão.

“Sentir-se apreensivo sob pressão é natural; quando ficamos calmos demais frente a um desafio é que algo está errado. Manter a calma é essencial, mas deve estar associada a uma estratégia dentro do que é necessário a ser resolvido.  Isso quer dizer que desistir ou se desesperar nada irá contribuir para que resolva o problema. Saiba utilizar sua inteligência a seu favor.”

10 – A crise nem sempre é ruim.

“Num de seus discursos, Kennedy observou que a palavra chinesa para crise era composta por dois caracteres: um significando perigo, o outro oportunidade. Descobriu-se depois que isso não é exatamente verdade, mas o conceito é perfeito. Saiba tirar proveito dos problemas transformando-os em oportunidades para seu crescimento. Utilize estes problemas como desafio a ser superado e transformado em reconhecimento profissional.”

Se observarmos os dez pontos listados podemos adaptá-los ao nosso dia-a-dia tanto pessoalmente como profissionalmente.

Em situações que envolvem o trabalho em equipe, principalmente estando sob sua liderança utilize o que já fiz em lugares que já trabalhei nesta condição, apresentava dentro do que se era exigido a equipe, sabendo que muitas das vezes estes profissionais ficam preocupados de como atender o seu superior, reunia-os e falava uma única palavra da forma que eu queria deles:

– SURPREENDAM-ME!

O que desperta uma estranha ou até um espanto para eles, mas tão logo ao falar, dizia a todos que eu estaria “traduzindo” o “SUPREENDAM-ME” que correspondia simplesmente em “que eu estava deixando que eles pensassem fora da caixa, inovassem e agissem de forma técnica utilizando de suas experiência e vivências para executarem o que lhes foi pedido”.

Voltando ao xadrez, treinar a mente é um processo demorado e no transcorrer do exercício profissional nos deparamos com inúmeras situações que nos remetem a ir muito mais além do que aplicar o conhecimento adquirido e as competências técnicas valem pouco se o funcionário não tem à disposição interna para colocá-las em ação.

Devemos ter consciência que:

1 – Nenhum Sistema é 100% correto e perfeito, o que nos traz um grande desafio.

2 – Confiança e Coerência são elementos fundamentais em todo processo de liderança e trabalho.

3 – Significância: Cada Trabalhador deve sentir que faz a diferença para o Sucesso no trabalho.

4 – Aprendizagem e Competência devem ser sempre buscadas.

5 – Aprenda e ensine o trabalho com Espírito de Equipe.

6 – Estímulo e Energia devem estar presentes e incentivados.

7 – Reconhecimento e Recompensa trazem respeito e transformam toda a equipe.

8 – Humildade, esta deve ser a primeira e sempre a atitude para que todos os 7 itens anteriores sejam realmente aplicáveis com sucesso.

O aprender nos leva também a ensinar, sendo uma condição de nosso dia-a-dia na Segurança e Saúde Ocupacional, pois se hora cobramos, hora também seremos cobrados.

“É fazendo que se aprende a fazer aquilo que se deve aprender a fazer.”

Aristóteles

(384 a.C. – 322 a.C.) foi um influente filósofo grego, discípulo de Platão. Dedicou sua vida ao desenvolvimento de conceitos fundamentais de ética, lógica, política, e outros, que são usados até hoje.

Os artigos reproduzidos neste blog refletem única e exclusivamente a opinião e análise de seus autores. Não se trata de conteúdo produzido pela RSData, não representando, desta forma, a opinião legal da empresa.

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter:

Pular para o conteúdo