SÍNDROME DE BURNOUT

NR 4

SÍNDROME – pode ser entendida como um conjunto de sinais e sintomas observáveis em vários processos patológicos diferentes e sem causa específica. No sentido figurado, também um conjunto de sinais ou de características que, em associação com uma condição crítica, são passíveis de despertar insegurança e medo.

A síndrome de burnout é, portanto, um distúrbio psíquico causado pela exaustão extrema, sempre relacionada ao trabalho. Caracterizado pelo estado de tensionamento emocional e carga estressora exacerbada provocados por condições e ambientes de trabalho desgastantes. Algumas categorias estão mais propensas, tais como áreas de educação, saúde, assistência social, recursos humanos, agentes penitenciários, bombeiros, policiais, operadores controle de voo e mulheres que enfrentam dupla jornada correm risco maior de desenvolver o transtorno.

A síndrome de burnout, ou síndrome do esgotamento profissional, é um distúrbio psíquico que foi descrito em 1974 por Freudenberger, um médico americano. O transtorno está registrado no grupo 24 do CID-11 (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde) como um dos fatores que influenciam negativamente a exposição a saúde ou o contato com serviços de saúde, entre os problemas relacionados ao emprego e desemprego.

A síndrome de burnout gerados pelos efeitos negativos somatizados torna-se crônico. Essa condição também é chamada de “síndrome do esgotamento profissional” e afeta quase todas as facetas da vida de um indivíduo.

Quais os sintomas da síndrome de burnout?

Os sintomas da síndrome de burnout podem ser físicos ou psicológicos, sendo que a pessoa pode apresentar:

– Cansaço mental e físico excessivos;
– Insônia;
– Dificuldade de concentração;
– Perda de apetite;
– Irritabilidade e agressividade;
– Lapsos de memória;
– Baixa autoestima;
– Desânimo e apatia;
– Dores de cabeça e no corpo;
– Negatividade constante;
– Sentimentos de derrota, de fracasso e de insegurança;
– Isolamento social;
– Pressão alta e
– Tristeza excessiva.
– outros

Como pode ser o tratamento da síndrome de burnout?

O primeiro passo é procurar ajuda médica especializada. No geral, o burnout requer que o indivíduo faça terapia e acompanhamentos com um médico de forma constante.

Então, o tratamento da síndrome de burnout pode ser feito por meio de medicamentos para tratar de seus sintomas.

Sua principal característica é o estado de tensão emocional e estresse crônicos provocado por condições de trabalho físicas, emocionais e psicológicas desgastantes. A síndrome se manifesta especialmente em pessoas cuja profissão exige envolvimento interpessoal direto e intenso.

Diagnóstico de Burnout

O diagnóstico é basicamente clínico e leva em conta o levantamento da história do paciente e seu envolvimento e realização pessoal no trabalho.

Respostas psicométricas a questionário baseado na Escala Likert também ajudam a estabelecer o diagnóstico.

A definição de BURNOUT CID 11 é:

“Burnout é uma síndrome conceituada como resultante do estresse crônico no local de trabalho que não foi gerenciado com sucesso. É caracterizada por três dimensões:

  • Sentimentos de exaustão ou esgotamento de energia;
  • Aumento do distanciamento mental do próprio trabalho ou sentimentos de negativismo ou cinismo relacionados ao próprio trabalho; e
  • Redução da eficácia profissional.”

Embora possam ser muitos os motivos para a origem da Síndrome de Burnout, alguns exemplos já são tipicamente conhecidos, como:

  • Cobrança excessiva relacionada ao cumprimento de metas;
  • Assédio moral;
  • Acúmulo de funções;
  • Competitividade entre os funcionários;
  • Ambiente de trabalho inadequado, entre outros.

Tratamento do Burnout 

O tratamento da síndrome de burnout inclui o uso de antidepressivos e psicoterapia. Atividade física regular e exercícios de relaxamento também são altamente recomendados para ajudar a controlar os sintomas.

Recomendações para pacientes com Burnout

  • Não use a falta de tempo como desculpa para não praticar exercícios físicos e não desfrutar momentos de descontração e lazer. Mudanças no estilo de vida podem ser a melhor forma de prevenir ou mesmo tratar a síndrome de burnout;
  • Conscientize-se de que o consumo de álcool e de outras drogas para afastar as crises de ansiedade e depressão não é um bom remédio para resolver o problema;
  • Avalie quanto as condições de trabalho estão interferindo em sua qualidade de vida e prejudicando sua saúde física e mental;
  • Avalie também a possibilidade de propor uma nova dinâmica para as atividades diárias e objetivos profissionais;
  • Ouça a opinião de seus familiares, amigos e colegas: Quem tem burnout, muitas vezes não percebe;
  • Não hesite em procurar ajuda profissional. A saúde mental é tão importante quanto a física.


Autor: Pedro Valdir Pereira
Safety Technician-Ergonomics, Occupational hygienist, Health and Safety /Reg. MTb. 45/00069-2 Formação Profissional Coaching Gerencial;
Técnico Internacional em Emergências Químicas – Especialista em Atendimento de Emergências – NFPA 472 U.S.A;
HazMat Technician Standard for Professional Competence of Responders to Hazardous Materials Incidents – Technician Level – transportation technology center, University of Texas at Austin – inc. USA;
Instrutor Credenciado CMBM / CBM RS REG. N° 000.185 / 2011, N° 0.379 / 2013, 551/2015, 733/2017, 078/2019;
Juiz do Tribunal de Mediação e Arbitragem do RS / TMA RS – Matrícula TMA/RS 1328;
Consultor Técnico – Defesa Civil RS;
Membro da Cruz Vermelha Internacional – Vale do Taquari;
Delegado Eleito para representar o RS na Conferência Nacional de Defesa Civil – Brasília em NOV 2014;
Instrutor, Professor, Comunicador, Palestrante, Coordenador de SST, Consultor Técnico em SST.

Os artigos reproduzidos neste blog refletem única e exclusivamente a opinião e análise de seus autores. Não se trata de conteúdo produzido pela RSData, não representando, desta forma, a opinião legal da empresa.

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter:

Pular para o conteúdo