Não é apenas sobre PGR

Após alguns meses da entrada em vigor da Norma Regulamentadora NR 1 é possível observar que muitos profissionais de SST e muitas empresas estão apenas elaborando o Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR).

A questão é que o item 1.5 não menciona apenas a elaboração de um programa e sim um processo que envolve vários itens que devem fazer parte do gerenciamento de riscos ocupacionais.

Muito pouco tem se falado em Levantamento Preliminar de Perigos, Planos de Preparação para Emergência, Avaliação de Riscos e Análise de Acidentes.

O foco ainda está apenas no PGR, assim como era com o antigo Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Empresas solicitavam PPRA, PCMSO e exames. Agora ao fazerem essa solicitação alguns consultores estão apenas dizendo que o PPRA não vale mais e é necessário elaborar o PGR. Mas não é somente isso.

É preciso que os profissionais envolvidos na elaboração dos documentos de SST apresentem para as empresas o que realmente a Norma está solicitando.

Um processo de gestão continuada que visa manter atualizado o inventário dos riscos e plano de ação, bem como a providência dos outros procedimentos mencionados na NR e já comentados aqui como o Plano de Preparação para Emergências e as Análises de Acidentes.

É preciso ir além da elaboração do PGR!

Muitos profissionais de SST não estão oferecendo o processo de GRO por acreditarem que as empresas não vão querer contratar um serviço mais elaborado devido ao aumento do investimento.

Não querem ter o trabalho de explicar e mostrar o valor agregado que o GRO pode trazer para a empresa.

Por isso nem oferecem, preferem oferecer o mais próximo do que já vinham fazendo na época do PPRA.

Assim não haverá ruptura, não teremos mudanças significativas.

É possível sim que nesse primeiro momento muitas pequenas empresas não aceitem o GRO e optem apenas pelo PGR, mas é necessário oferecer, explicar, deixar claro que elaborar apenas o PGR não estarão cumprindo com todos os quesitos da NR.

Outro fator de muitos profissionais ficarem restritos apenas ao PGR é a falta de conhecimento e a mentalidade ainda condicionada ao PPRA.

Mudar não é fácil, muito mais cômodo é continuar fazendo o que já vinha sendo feito há anos.

E o fato de não buscarem conhecimento também gera a insegurança de apresentar algo diferente e impacta na condição de argumentação.

Para ir além do PGR será necessário buscar conhecimento, ter mais preparo e estar aberto às mudanças.

É um grande desafio. Quem está disposto a aceitar?

Valério Wagner

TST e Gestor Ocupacional

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter: