Qual a melhor metodologia de investigação de acidentes?

De acordo com a NR-01, toda organização deve analisar os acidentes e as doenças relacionadas ao trabalho que venham ocorrer, sendo que este processo de investigação de acidentes precisa ser documentado. No entanto, a norma não define ou sugere uma metodologia específica de investigação.

Mas qual a melhor metodologia?

Existem diversas metodologias de investigação de acidentes, como:

•          Análise de Árvore de Causas: Esta metodologia envolve a criação de um diagrama que rastreia as causas de um acidente até suas raízes, identificando os principais fatores contribuintes.

•          ICAM (Investigação e Análise de Causas de Acidentes): É uma abordagem sistemática que visa entender as causas e os fatores que levaram a um acidente por meio da coleta de evidências e análise criteriosa.

•          8Ds (8 Disciplinas): Embora os 8Ds sejam mais frequentemente associados à resolução de problemas, eles também podem ser aplicados à investigação de acidentes, seguindo as oito disciplinas para identificar causas e implementar ações corretivas.

•          Diagrama de Causa e Efeito (Ishikawa ou Diagrama de Espinha de Peixe): Essa ferramenta visual ajuda a identificar as possíveis causas de um problema ou acidente, categorizando-as em diferentes áreas para análise.

•          Método dos Por Quês: Este método consiste em fazer repetidas perguntas “Por quê?” para identificar a causa raiz de um problema ou acidente, muitas vezes chegando a causas latentes e subjacentes.

•          Análise de Modo e Efeito de Falha (FMEA): A FMEA é uma técnica sistemática usada para avaliar o potencial de falhas em um processo, produto ou sistema e determinar suas consequências. Ela envolve a classificação das falhas de acordo com sua gravidade, frequência e detecção, resultando em uma pontuação de prioridade. Isso ajuda a identificar as áreas críticas que precisam de atenção para prevenir acidentes.

•          Análise de Incidentes Críticos (CIA – Critical Incident Analysis): A CIA se concentra na investigação de incidentes específicos que são considerados críticos devido ao seu potencial de impacto negativo na segurança. Ela visa entender as circunstâncias que levaram ao incidente e identificar medidas corretivas para evitar recorrências.

•          Análise de Segurança do Trabalho (TSA – Task Safety Analysis): A TSA é usada para analisar tarefas ou atividades específicas no local de trabalho. Envolve a identificação de perigos e fatores associados à tarefa para identificar as potenciais causas dos acidentes de trabalho.

•          “Bowtie” (gravata borboleta): A metodologia “Bowtie” pode ser aplicada na investigação de acidentes como uma forma de analisar as causas e as medidas de controle associadas a eventos indesejados. Ela ajuda a compreender as barreiras de segurança que falharam em um acidente específico e a desenvolver estratégias para evitar futuros incidentes similares

Cada uma dessas metodologias tem suas próprias abordagens e métodos específicos para a investigação de acidentes e a identificação de causas raízes. A escolha da metodologia adequada depende das circunstâncias do acidente, da complexidade do sistema envolvido, dos recursos disponíveis para a investigação, do nível de qualificação da equipe de investigação e da real potência do dano do evento investigado. Em alguns casos, pode ser útil combinar mais de uma metodologia para se obter uma compreensão mais abrangente das causas do acidente.

Por exemplo, o Método dos Por Quês e o “Bowtie” podem ser combinados.

É essencial que a metodologia escolhida atenda às seguintes condições:

a) Considere as situações geradoras dos eventos, levando em conta as atividades efetivamente desenvolvidas, o ambiente de trabalho, os materiais e a organização da produção e do trabalho;

b) Seja capaz de identificar os fatores relacionados com o evento; e

c) Forneça evidências para subsidiar e revisar as medidas de prevenção existentes.

Todas as metodologias têm vantagens e desvantagens quando comparadas entre si.

Não é possível, neste pequeno texto, definir qual a melhor metodologia para ser aplicada no acidente que você irá investigar. No entanto, recomendo fortemente que comece a estudar cada uma delas para conhecer suas aplicações. Comece utilizando as metodologias que você considera menos complexas. Por exemplo, particularmente, considero o Diagrama de Causa e Efeito uma excelente ferramenta para avaliar eventos menos complexos, principalmente quando comparado à Árvore de Falhas. Considere também a possibilidade de utilizar uma segunda ferramenta para reduzir as falhas da primeira. A efetividade da metodologia em identificar as causas raízes dependerá em grande parte do nível de conhecimento da equipe que a utiliza. Assim, uma equipe qualificada terá grandes resultados, mesmo utilizando metodologias consideradas mais simples. Lembre-se também que a metodologia a ser utilizada precisa ser objetiva e imparcial, ser capaz de identificar os fatores imediatos, subjacentes, latentes e os fatores de interação.

Os artigos reproduzidos neste blog refletem única e exclusivamente a opinião e análise de seus autores. Não se trata de conteúdo produzido pela RSData, não representando, desta forma, a opinião legal da empresa.

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter:

Pular para o conteúdo