QUAL A DIFERENÇA ENTRE INCIDENTE E ACIDENTE DE TRABALHO?

Os conceitos de acidente e incidente de trabalho são diferentes, embora parecidos. O primeiro está, inclusive, presente na legislação trabalhista e é tido como uma ocorrência que provoque lesão corporal, desenvolvimento de doenças, perda/redução da capacidade do colaborador ou óbito.

Do outro lado está o incidente de trabalho, considerado também uma ocorrência, mas com potencial risco de ocasionar um acidente de trabalho. Ou seja, se trata de um fato que ainda não gerou danos a nenhum colaborador ou empresa, mas é capaz de provocar consequências sérias se não for trabalhado.

Para muitos especialistas, questões como falta de atenção, rotinas exaustivas de trabalho e a falta de condições e equipamentos adequados para prevenção são os principais causadores de acidentes no Brasil, que ocupa 4º Lugar No Ranking Mundial De Acidentes De Trabalho.

O que é considerado um acidente de trabalho?

Segundo o artigo 19 da Lei no 8.213, de 24 de julho de 1991, “acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, ou de empregador doméstico, ou pelo exercício do trabalho do segurado especial, provocando lesão corporal ou perturbação funcional, de caráter temporário ou permanente”.

Pode causar desde um simples afastamento, a perda ou a redução da capacidade para o trabalho, até mesmo a morte do segurado.

O Que É O Seguro Acidente Do Trabalho?

Sinais que antecipam possíveis acidentes de trabalho

Estresse físico, mental ou emocional, manifesto pela fadiga, confusão, desatenção, irritação ou ansiedade são sinais que devem ser observados. A sobrecarga de atividade ou de carga horária, desatenção e distraimento com coisas importantes agindo com desleixo, deixando passar ações relevantes sobre a segurança da equipe e a sua própria também são perigosos.

Outro ponto fundamental que qualquer profissional deve identificar é o colaborador que não saber dizer não. Ou seja, que aceita tudo que lhe é solicitado e não respeita seus limites.

Descuido no uso de EPIs, ou porque não usa, ou porque usa inadequadamente também é uma característica que antecede acidentes laborais, bem como o desrespeito às normas de segurança, pulando procedimentos e trabalhando com pressa.

A negação dos riscos é uma das principais causas de acidentes. Atente para quem não acha nada perigoso e comporta-se no automático, acreditando que nada vai acontecer e supervalorizando sua experiência.

Desânimo, tristeza evidente, baixa energia e atitudes que revelam a desvalorização de si mesmo também precisam de atenção.

Aconteceu um Acidente de trabalho, E agora?

A primeira coisa a se fazer diante de um acidente no ambiente laboral é prestar auxílio médico à vítima. Prestar todo socorro necessário nesse momento deve ser a prioridade. No caso das doenças ocupacionais ou de trabalho, a assistência médica deve ser constante.

Depois, a ação do empregador deve ser a de emitir o CAT até o primeiro dia útil após o acidente. Este comunicado é obrigatório, e caso não seja feito, a empresa poderá sofrer multas que variam entre R$ 670,89 e R$ 6.708,88 conforme a gravidade do acidente. A partir da realização do CAT, o funcionário passa a ter a assistência do INSS.

Em casos graves, em que ocorra um afastamento que dure mais do que 15 dias, a empresa será responsável por cobrir todos os gastos necessários nesses primeiros 15 dias, e após isso, o INSS assume a cobertura das despesas por meio dos auxílios.

Quer saber como a CIPA deve agir em caso de acidente de trabalho? Veja esse vídeo completo sobre o assunto.

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter:

Pular para o conteúdo