Pensamento Estratégico: Perspectica SSO a virada de chave

Após mais de 30 anos de entraves, desatualizações, desinteresse e, até desprezo pela Segurança e Saúde Ocupacional – SSO, no Brasil, temos a oportunidade ímpar de experimentar a “evolução”.  O Modelo de negócios vinculado a novas exigências e requisitos legais com grande chance de prosperar. Esta mudança de direção com uma nova idéia, um novo sistema de Gestão e Gerenciamento de riscos Ocupacionais onde uma nova ciência obrigará a mudança radical de postura e de conduta no modelo de negócios. Este modelo de desenvolvimento e sustentabilidade, com evolução gradual e progressiva dos profissionais de SSO, apoiados em novas idéias e requisitos legais baseados na evolução da ciência e da moderna administração, permite enxergar a Gestão (pensamento teórico a nível estratégico corporativo da Organização) transformado em “gerenciamento/execução” (nível tático-Operacional) executada de forma gradual e harmoniosa gerando crescimento, desenvolvimento e melhoria contínua no exercício do trabalho.

Por várias décadas, em sua imensa maioria, a SSO foi um valor apenas de discurso fácil, barato, simplório e vazio e sem qualquer conexão com o mundo prático/real. Primeiro pela própria inexistência de atualização do requisito legal associado a uma imensurável falta de capacidade e organização dos Órgãos de fiscalização a nível federal, hoje reconhecida, em que apenas 3% a 4% das Organizações empregadoras presumidamente recebiam algum tipo de fiscalização. Oras, contanto com esta ineficiência e Ineficácia, aliada a cultura do imediatismo e a negação do sagrado direito de proteção à vida e à saúde no exercício do trabalho, o “trator da gula e da avareza nos negócios, desconsiderou que o maior patrimônio da sociedade de trabalho é o trabalhador protegido e saudável e sua imensurável capacidade criativa de evoluir responder aos desafios imperiosos para a sustentabilidade do modelo de negócios, seja ele qual for.

Surge em 2022, a Portaria 6730 (NR 1) – a mãe de todas, as quais as demais devem estar harmonizadas. Nesta rota e,  diretamente vinculadas a Portaria 6734 (NR PCMSO) e a Portaria 6735 (NR 9). Os elevados padrões de qualidade e de excelência para a gestão (pensamento teórico/guia/diretriz) e para o Gerenciamento (execução do pensamento teórico) da Norma ISO 45001 são fundamentos que todo o profissional de SSO deve dominar. A mudança de chave reside no padrão de excelência da ISSO 45001.  Apoiados  numa norma internacional de desenvolvimento, a evolução e a atualização estão assegurados. O foco principal é o trabalhador, as forma ou tipos de Lideranças, o planejamento estratégico, processo / ferramentas que permitem estabelecer metas SMART. Meta SMART é um método fundamental de qualquer planejamento estratégico e consiste em definição criteriosa do ponto futuro, ou seja, onde eu quero chegar/alcançar. Definem suas metas em 5 (Icinco) fatores indispensáveis do PE:  1. S – Specific ou Específica; 2. M – Measurable ou Mensurável; 3. A -Attainable ou Atingível; 4. R – Relevant ou Relevante;  5.  T – Time based ou Temporal.

Virou a chave. Neste cenário Você, profissional de SST e/ou a sua consultoria só se sustentam, pelos “demonstrativos de desempenho e melhoria contínua”. Terminou a geração CC , Cópia  & Cola. As Organizações serão fiscalizadas em 100% (cem por cento) e precisarão também comprovar resultados, desempenho e melhoria contínua. Planejar estrategicamente, executar o planejamento, acompanhar, medir e checar metas de desempenho, analisar resultados e propor melhoria contínua é sistemático, repetitivo, obrigatório neste novo cenário. Conforme a Nova NR 1 e a Portaria 211:2019, todos os documentos de SSO estarão em meio “nato digital”. Para gerar estes documentos, monitorar demonstrativos de desempenho, análise crítica de resultados entre outros, as Organizações e profissionais dependem de um SOFTWARE especialmente preparado para entender e atender os variados critérios, ferramentas e legislações específicas (Trabalho e Previdência). Monitorar o desempenho de SSO e apresentar resultados consolidados através dos demonstrativos de resultados e análise de dados, é um diferencial enorme para a sustentabilidade dos negócios para todas as partes envolvidas.

Você está preparado? E sua Consultoria está preparada para entender e atender as expectativas e necessidades de todas as partes envolvidas? Trabalhador – Organizações – Governo – Sociedade.

Permite-me uma contribuição. Abaixo 3 Dicas para conquistar e assegurar bons resultados:

– Você já conhece, já trabalhou com planejamento estratégico? Agora Você já sabe o que é Metas SMART. Planeje e construa as suas de forma relevante e assegure melhores resultados.

  • 1. Sempre monitore o desempenho das ações executadas no teu PGR (Inventário de riscos = plano de ação).

É fundamental que Você e a sua equipe acompanhe o desempenho de SSO em cada meta especificamente reportada. Nunca deixe para avaliar resultado no final do ciclo/período. Desenvolva o hábito de acompanhar desempenho permanentemente e, se for necessário, correções de rumo, faça a correção e reporta a análise com os motivos deixando-as registradas (retenção da informação)

  • 2. Mantenha todos envolvidos

O sucesso de uma meta depende do empenho, dedicação e compromisso de todos da Organização. A liderança tem papel fundamental em mobilizar, estimular, compartilhar a informação. Todos precisam compreender a sua importância na solução de problemas e geração de resultados.

  • 3. Apresente Resultados

Estimule à todos perseguir e criar soluções criativas para os problemas/desafios. Ouça mais as pessoas.  Quando a meta for alcançada, apresente e celebre resultados. Superar expectativas aumenta a confiança, consolida o saber e gera prosperidade para todos. Valorize as pessoas. É com elas e para elas o esforço de cada um.

Lembre-se, trabalhar com metas SMART pode aumentar significativamente resultados e mudar a vida as pessoas e organizações. Todavia, para criar “estratégias” eficientes, é preciso planejamento. Na tua GRO (Gestão de Riscos Ocupacionais) que é a Diretriz, uma guia ou documento teórico a qual todas as demais ações de SSO estarão vinculadas vai te oportunizar a Visão do Modelo de negócios da Organização. Revela o Compromisso estratégico do negócio, onde está, onde quer chegar. De que forma isso deve ocorrer. Quais são as principais ferramentas  aplicáveis. O posicionamento da Organização a nível Estratégico Corporativo. No PGR -Programa de Gerenciamento de Riscos Ocupacionais, Você vai “reconhecer” o perigo; avaliar o risco (matriz de categorização); Inventariar os riscos; Priorizar as medidas de controle e; Controlar os Riscos (plano de ação). Avaliar o desempenho e propor ações corretivas, no que couber. Por fim, não há nada de estratégico, mantendo o que já se faz! Estratégico podemos afirmar que é o ponto futuro. Onde ainda nunca cheguei!

PEDRO VALDIR PEREIRA
Safety Technician-Ergonomics, Occupational hygienist, Health and Safety /Reg. MTb. 45/00069-2 Formação Profissional Coaching Gerencial; Técnico Internacional em Emergências Químicas – Especialista em Atendimento de Emergências – NFPA 472 U.S.A;
HazMat Technician Standard for Professional Competence of Responders to Hazardous Materials Incidents – Technician Level – transportation technology center, University of Texas at Austin – inc. USA; Instrutor Credenciado CMBM / CBM RS REG. N° 000.185 / 2011, N° 0.379 / 2013, 551/2015, 733/2017, 078/2019; Juiz do Tribunal de Mediação e Arbitragem do RS / TMA RS – Matrícula TMA/RS 1328;
Consultor Técnico – Defesa Civil RS; Membro da Cruz Vermelha Internacional – Vale do Taquari; Delegado Eleito para representar o RS na Conferência Nacional de Defesa Civil – Brasília em NOV 2014;
Instrutor, Professor, Comunicador, Palestrante, Coordenador de SST, Consultor Técnico em SST.

Os artigos reproduzidos neste blog refletem única e exclusivamente a opinião e análise de seus autores. Não se trata de conteúdo produzido pela RSData, não representando, desta forma, a opinião legal da empresa.

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter: