O que precisa para enviar o SST no eSocial?

 Quando se trata de Segurança e Saúde do Trabalho (SST) e eSocial, é preciso contar com tecnologia especializada para ajudar na conferência e entrega com qualidade das informações requeridas, bem como no cumprimento dos prazos.

É importante saber que diversos fatores precisam estar parametrizados para que o eSocial receba os arquivos. Afinal, uma única vírgula fora do lugar pode gerar sérios problemas, incluindo severas multas.

Assim, um fornecedor de tecnologia adequado para isso tem que ter o conhecimento para separar adequadamente o que é agente nocivo para atividade especial do agente insalubre, por exemplo.

E agora imaginemos: se até mesmo engenheiros da área acabam se atrapalhando, imagine um outros profissionais não familiarizados lendo o manual do eSocial, sem ter as noções necessárias para prezar pela qualidade dos arquivos. Lembrando que o Sistema do eSocial aceita qualquer informação enviada – qualquer uma mesmo. Porém, após o tempo de entrega, este mesmo sistema irá fiscalizar se as informações estão qualificadas para tal.

Por isso, uma boa orientação é: nunca use softwares genéricos ou soluções caseiras, feitas com base no excel. Eles não serão eficazes, pois não é o envio, mas a qualidade da informação enviada que irá gerar penalidades.

Vale lembrar que conforme o Art. 8º A partir de 1º de janeiro de 2023:

III – o valor da multa pela infração a qualquer dispositivo do RPS, para a qual não haja penalidade expressamente cominada no art. 283 do RPS, varia, conforme a gravidade da infração, de R$ 3.100,06 (três mil e cem reais e seis centavos) a R$ 310.004,70 (trezentos e dez mil quatro reais e setenta centavos);

Esta informação impacta diretamente nos eventos de SST do eSocial. Para termos uma ideia, as multas atualmente praticadas por descumprimento das regras no âmbito do eSocial, pelo não preenchimento dos eventos S-2210, S-2220 E S-2240, que trazem informações para compor o PPP, variam como dito acima de R$ 3.100,06 e R$ 310.004,70/por empregado, dependendo do grau de risco, gravidade da infração e porte da empresa. Estas são sempre quantias que qualquer companhia prefere não pagar. Além é claro dos problemas de ordem criminal referentes a informações falsas prestadas no PPP.

Pare de customizar softwares genéricos! Invista uma só vez em um software desenvolvido por profissionais especialistas em Segurança e Saúde do Trabalho, como o RSData, que não apenas irá prover facilidade no lançamento das informações, como permitirá uma gestão eficaz na emissão, controle e no vencimento de documentos, programas e laudos tais como GRO/PGR, PCMSO, PCA, LTCAT e PPP, ASO e Exames.

Invista, sim, em um sistema fundamentado na legislação trabalhista, previdenciária e internacional. E lembre-se: para atender às demandas do eSocial, um sistema que integre gestão de SST, engenharia, higiene ocupacional e medicina, como o RSData, é o que fará a diferença.

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter:

Pular para o conteúdo