O que é ócio criativo e sua importância?

Neste artigo, Pedro Pereira nos conduz por uma jornada de reflexão e descoberta, explorando o conceito fascinante do ócio criativo. Em um mundo onde a valorização do trabalho incessante muitas vezes obscurece a importância do descanso e da descontração, Pereira nos convida a repensar nossa abordagem em relação ao equilíbrio entre produtividade e momentos de lazer. Ao desvendar as nuances desse conceito, ele revela como o ócio criativo pode ser um catalisador poderoso para uma mente mais criativa, produtiva e realizada.

OCIO CRIATIVO

Após um ano tenso e intenso de trabalho,  vamos naturalmente desacelerando. É inevitável a reflexão sobre metas, propósitos e, afinal o que deu ou não deu certo. A juntada de elementos e motivos sobre erros e de acertos.     Este processo de depuração em busca do entendimento sobre as razões de nossa existência passa a ser um ato de renovação. No balanço final, resta a certeza de dever cumprido e, paradoxalmente, que podemos entregar mais.  A inovação, a ação de fazer diferente por caminhos, técnicas, métodos e práticas nunca antes executadas podem nos levar a posição nunca antes conquistadas. Naturalmente percebemos este desejo, esta necessidade de evolução e melhoria contínua. Uma jornada compartilhada, pois não vivemos sozinhos.

Nesta metamorfose permanente somos inspirados por muita gente e, inspiramos outros tantos. Na certeza de que mudar tem preço, mas evoluir gera valor. Você é substituível naquilo que faz, jamais naquilo que é!

Os valores humanos são as características que nos diferenciam do restante dos seres vivos e estão relacionados, principalmente, à dignidade e à moral. Alguns exemplos incluem, honestidade, amor,  respeito, responsabilidade, tolerância, gratidão e humildade.

  • Honestidade. Qualidade ou caráter de honesto, atributo do que apresenta probidade, honradez, segundo certos preceitos morais socialmente válidos. Característica do que é decente, do que tem pureza e é moralmente irrepreensível.
  • Amor. Capacidade de querer bem as pessoas. Proteger o ambiente em que vivemos e labutamos.
  • Responsabilidade. A responsabilidade é principalmente a capacidade de avaliar as próprias habilidades e ações e as possíveis consequências das decisões e agir de forma que os objetivos esperados tenham maior probabilidade de serem alcançados. Ato de responder por aquilo que pratica (por ação ou omissão, negligência, imprudência ou imperícia).
  • Tolerância. Não julgar.   Do latim tolerantia, é um termo que define o grau de aceitação diante de um elemento contrário a uma regra moral, cultural, civil ou física.
  • Gratidão. Humildade e reconhecimento de uma pessoa por alguém que lhe prestou um benefício, um auxílio, um favor. Agradecimento.
  • Respeito. Designa um sentimento positivo, consideração pelas qualidades reais do respeitado, seja uma pessoa ou para entidade, e também ações específicas e condutas representativas daquela estima. Não deve ser confundido com tolerância, porque essa não implica necessariamente algum sentimento positivo.

Férias.

Legítimas e imponderáveis (valor não pode ser determinado, mensurado, medido; impalpável, intangível), são necessárias para distensionar. Toda e qualquer máquina ou equipamento, inclusive a humana, passa por ciclos onde necessita reparos, revisões, reavaliações para potencializar a sua capacidade criativa e de transformações.

O ÒCIO distensiona após longos e tensos períodos, renovando a capacidade criativa do indivíduo. As férias funcionam como uma válvula de escape após extenuante jornada. Como toda e qualquer máquina, a máquina humana tem seus limites e chega uma hora que o descanso, a pausa, é necessária. Sua falta é responsável por casos de estresse, insônia, mal humor, perda de concentração, perda de rendimento, adoecimento e até mesmo acidentes de trabalho. Se desligar do trabalho não é algo fácil, nem mesmo durante as tão sonhadas e necessárias férias.

Domenico De Mais” foi um sociólogo italiano que tornou-se famoso pelo conceito de “ócio criativo” segundo o qual o ócio, longe de ser negativo, é um fator que estimula a criatividade pessoal.

A palavra criatividade vem do latim creatus, que significa criar, e do verbo infinitivo creare. De acordo com o dicionário, o termo criatividade pode ser definido como “a qualidade ou característica de quem é criativo; inventividade; inteligência e talento, natos ou adquiridos, para criar, inventar, inovar.”

O que é Ócio Criativo? Conheça esse conceito e saiba como ele facilita o trabalho criativo!

Ócio Criativo é saber conciliar o trabalho com os estudos e o lazer de forma a equilibrá-los, sem se sobrecarregar e extraindo o máximo de cada momento. Com o ócio criativo, você é capaz de se entregar e dedicar inteiramente e desenvolver melhores ideias.

Já pensou em descobrir respostas para problemas e questões que envolvem sua vida profissional enquanto se diverte em momentos de puro lazer?

Para muitas pessoas, a ideia pode parecer estranha à primeira vista. Porém, ela tem nome e sobrenome, e vem ganhando uma quantidade muito alta de adeptos em uma sociedade em que o trabalho é supervalorizado e momentos de descanso podem ser vistos como improdutivos: estamos falando do ócio criativo. E Você? Produtivo ou sempre ocupado?

O que é Ócio Criativo?

É comum associar o termo “ócio” a outros como preguiça, falta de força de vontade para se mover/realizar tarefas e outros conceitos de conotação negativa.

Para entender o que é ócio criativo, então, é preciso se desprender do significado mais popular e pensar na palavra enquanto definidora de momentos de lazer, diversão e descanso. Isso, obviamente, está longe de ser uma coisa ruim, afinal, ninguém vive só de trabalho! E, férias é um legítimo direito de todos que trabalham, não sendo ruim nem crime tirar férias. Será?

Atualmente, vivemos em uma realidade em que a carreira é colocada como prioridade na vida das pessoas de maneira relativamente mais forte do que no passado, afinal, com smartphones e laptops, é possível levar tarefas para literalmente qualquer lugar.

Isso faz com que seja criada uma atmosfera exagerada em cima do trabalho duro — muitas pessoas se vangloriam de trabalhar por períodos que ultrapassam 13 horas por dia —, e quem não se enquadra nessa categoria de “workaholic” (termo em inglês para ilustrar os viciados em trabalho) se sente deslocado.

E se eu te falar que não é preciso se sentar na cadeira durante longas horas que ultrapassam o expediente normal para ser mais produtivo e criativo e mostrar mais resultados em seu trabalho, seja ele qual for?

O ócio criativo promete te ajudar com isso a partir de uma ideia principal: o ser humano, quando equilibra trabalho e lazer, tem muito mais sucesso do que quando “quebra a cabeça” na frente do computador incessantemente.

Ele foi criado justamente por um sociólogo que criticava as formas de vida ocidentais de lidar com o trabalho e obrigações em geral. Domenico De Masi dizia que a porcentagem de tempo gasta com funções profissionais compõe aproximadamente um sétimo da vida de uma pessoa, enquanto momentos de “tempo livre” são três vezes maiores.

Por isso, ao aproveitá-los, seria possível viver uma vida mais equilibrada e, em consequência disso, ser um profissional melhor, mais produtivo e mais criativo.

Como ele funciona na prática?

Agora que você entendeu as motivações que levaram o conceito de ócio criativo a ser desenvolvido e descobriu o significado básico do termo, é hora de ver como ele funciona na prática.

Já que, de acordo com De Masi, o ser humano passa três vezes mais tempo “não fazendo nada” do que executando funções profissionais, é preciso saber aproveitar esses momentos de maneira criativa e prazerosa — nada de triplicar as jornadas de trabalho!

Ele defende a ideia pelo seguinte motivo: não adianta nada forçar o cérebro para desempenhar uma atividade quando ele já se encontra cansado e saturado. O resultado será medíocre e insuficiente, pois o ser humano tende a ser menos criativo e produtivo quando se encontra em momentos de sobrecarga.

Ao mesmo tempo, quando estamos felizes e nos sentimos estimulados mentalmente, as melhores ideias chegam até nós de forma inesperada.

Ou seja: em vez de levar trabalho para casa, separe os momentos de tempo livre para fazer coisas que te dão prazer, mesmo que elas sejam aparentemente insignificantes para os outros, como tirar cochilos ou se sentar na sala olhando para o teto.

Dessa forma, você será uma pessoa mais:

  • feliz;
  • criativa;
  • produtiva;
  • proativa;
  • determinada.

Quais são as melhores formas de aproveitar o ócio criativo?

Siga as dicas que serão dadas a seguir e descubra como o ócio criativo vai te fazer mais produtivo, realizado profissionalmente, criativo e se destacando mais no trabalho.

Entenda as limitações do seu cérebro

primeiro passo é compreender que nem todos os momentos de ócio serão 100% férteis. Não adianta sentar no sofá para ver televisão esperando que alguma ideia mágica apareça!

Tenha em mente que, caso você encare o conceito como uma obrigação, ele vai parar na mesma categoria das longas jornadas de trabalho e do home office desnecessário.

Entenda que o cérebro de qualquer ser humano funciona de maneira singular e que ninguém é uma máquina, nem mesmo quando estamos felizes e tranquilos.

Tenha sempre um caderninho em mãos

Tenho certeza absoluta de que todo mundo já viveu o ócio criativo pelo menos uma vez na vida. Sabe aquelas idéias que surgem do nada e, por mais que possam parecer meio malucas de início, você sente até orgulho de ter produzido tamanha criatividade em uma só mente?

São justamente elas que se transformam nos diferenciais que você procura para a sua vida profissional, mas acredita não achar!

Por isso, mantenha um caderno ou bloco de notas do celular sempre em mãos e crie o hábito de anotar tudo o que surgir na cabeça. Mesmo que à primeira vista aquilo não pareça ser aplicável no dia a dia e te faça até mesmo rir de si mesmo, anote!

Em algum momento da sua semana será possível aplicar aquele insight de forma mais contextualizada e efetiva.

Tire algumas pausas entre longas jornadas de trabalho. O ócio criativo não consiste apenas em longos momentos de prazer intenso. Pequenos períodos na rotina também são fundamentais!

Separe alguns minutos entre uma reunião e outra para tomar uma água e respirar ar puro, saia do computador e dê uma voltinha para descansar os olhos e a cabeça, enfim, pense em pequenas práticas prazerosas que podem ser feitas no dia a dia e que passam despercebidas na maioria das vezes.

Relaxe! Muito mais do que visar resultados práticos e mensuráveis, o ócio criativo existe para proporcionar (ou trazer de volta) o bem-estar que sentíamos quando éramos crianças, uma época em que nossa única preocupação era a diversão.

Faça uma maratona de séries durante a semana, permita-se comer aquele sanduíche gostoso, beba um refrigerantezinho uma vez ou outra, acorde bem tarde no sábado, tire o e-mail corporativo do celular por um dia e sinta-se livre para ficar fora de casa até de madrugada, caso esse seja o seu tipo de programa.

Tire férias! Boas Férias pra Você! Quando vivemos uma vida mais feliz, toda e qualquer área dentro dela se torna mais prazeroso e  passível de sucesso!

Os artigos reproduzidos neste blog refletem única e exclusivamente a opinião e análise de seus autores. Não se trata de conteúdo produzido pela RSData, não representando, desta forma, a opinião legal da empresa.

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter:

Pular para o conteúdo