O que é o PCA?

O Programa de Conservação Auditiva – PCA como o nome diz, é um programa que tem caráter preventivo e tem como objetivo principal evitar a perda da audição.

Como o PCA deve ser implantado e desenvolvido?

A implantação e desenvolvimento exigem ações, pois o PCA não é apenas um documento, como muitos ainda pensam. Ao longo de três décadas atuando como fonoaudióloga, tenho convicção das ações que trazem resultados positivos e, a seguir, mencionarei as atividades obrigatórias na sua execução.

Tudo começa com a audiometria realizada, anual ou semestral, de acordo com a necessidade apontada no PCMSO. Posteriormente, o monitoramento audiométrico, com a análise de todas as audiometrias sequenciais de cada empregado, comparando as médias e verificando se houve desencadeamento ou agravamento de uma perda auditiva (NR 7 – Portaria 19 – Anexo II).

Todos os casos são discutidos entre a fonoaudióloga e o médico, complementando a análise com informações fornecidas pelos setores de segurança do trabalho e departamento pessoal da empresa. Quando necessário são solicitados retestes, encaminhamentos a especialistas ou outros exames considerados importantes para um diagnóstico diferencial, possibilitando a conduta mais adequada à cada caso.

Em função do porte da empresa, as reuniões do comitê podem ser semestrais, trimestrais ou acontecer com a periodicidade que se julgar necessária. Neste momento, a equipe multidisciplinar discutirá as questões, apontará as ações, designará o responsável e definirá a data para execução.

No mínimo, semestralmente devem ser realizados treinamentos com conteúdos relacionados à saúde auditiva, atividade extremamente importante e ao meu ver, o coração do PCA. É o momento de ter contato com o empregado, passar conhecimento, esclarecer dúvidas e dar orientações.

Periodicamente, devem ser realizadas visitas nas áreas produtivas onde há presença de ruído, com o objetivo de verificar o uso adequado do equipamento de proteção individual e observar o ambiente de trabalho. É necessário observar possíveis situações diferentes, possibilidades de adequar equipamentos de proteção coletiva e sempre focar em ações de melhoria contínua.

O programa deve fluir com as ações da equipe multidisciplinar, respeitando a ética e o profissionalismo. A cultura preventiva deve ser disseminada e verticalizada começando pela diretoria, com adesão de todos os cargos de liderança.

O êxito na execução do Programa de Conservação Auditiva depende do envolvimento de todos e essa busca deve ser incessante.

 

\"\"Lorena Cecilia Pistono Núñez

Fonoaudióloga formada pela PUC/SP
Especialista em Audiologia
Especialista em Fonoaudiologia do Trabalho, com aprimoramento em Processamento Auditivo Central
Consultora na implantação e desenvolvimento de Programa de Conservação Auditiva
Instrutora e palestrante
Atuante na área ocupacional há 30 anos.

 

 

 

 

Os artigos reproduzidos neste blog refletem única e exclusivamente a opinião e análise de seus autores. Não se trata de conteúdo produzido pela RSData, não representando, desta forma, a opinião legal da empresa.

 

 

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter: