Medicina integrativa: o que é e qual sua importância?

Medicina integrativa: o que é e qual sua importância?

A integração entre saúde física e emocional na medicina integrativa é de suma importância para tratar as mais variadas doenças, sejam elas físicas ou psíquicas.

Aliás, é cada vez mais comum essa forma de atendimento dentro de consultórios médicos e hospitais pelo mundo.

No Brasil, embora ainda engatinhando, esse novo modelo de saúde observa o paciente de forma mais humana e integrada. É sobre isso que vamos falar hoje.

Você sabe o que é Medicina integrativa e qual sua importância?

O que é medicina integrativa?

A medicina integrativa busca, como o próprio nome já diz, integrar todos os pontos do indivíduo.

Ou seja, se o paciente procura o consultório com sintomas específicos, o médico irá levar em consideração outras questões, como corpo, mente e espírito, independente do problema ser físico ou psicológico.

É um tipo de medicina que acredita na avaliação de uma doença através de pilares que unem a medicina convencional com métodos alternativos, eficazes e seguros.

Muitos acreditam que a medicina integrativa não se utiliza de tratamento tradicional, mas isso não é verdade. Porém, claro, é uma visão mais ampla sobre o que, como e onde esse paciente está inserido.

Qualidade na relação entre médico e paciente

O fortalecimento da relação entre médico e paciente é um dos pontos fortes da medicina integrativa.

Ao vislumbrar o paciente em todos os seus âmbitos é possível construir uma relação duradoura e de permanência, onde a saúde emocional e física estarão sempre interligadas.

A medicina integrativa permite que o médico veja o paciente além de um número ou de um nome, mas conheça a sua rotina, vida social, situação econômica, etc.

Prevenir é o melhor remédio

Como a medicina integrativa cuida do paciente e não apenas da doença, outros aspectos são tratados, seja com ajuda de um acompanhamento psicológico ou tratamentos alternativos.

Quando você tem um paciente com açúcar alto e percebe essa pessoa de uma forma ampla e integrativa, você não somente receita o remédio para o problema, mas trabalha na conscientização da importância de uma alimentação saudável, por exemplo.

Ou seja, profissionais de saúde podem curar uma doença e prevenir outras em simultâneo.

Aliás, como já sabemos, prevenir é sempre o melhor remédio.

Medicina integrativa e a saúde do trabalhador

A falta de acompanhamento médico, o estresse no ambiente de trabalho e algumas doenças crônicas são as maiores inimigas da saúde do trabalhador e, claro, do seu desempenho profissional.

Você sabia que cerca de 12% da verba das empresas é investida em planos de saúde? Aliás, em alguns casos, esse número chega a 20%.

Uma pesquisa da International Stress Management Association (ISMA) revelou que o Brasil é o segundo país com mais casos síndrome de Burnout – transtorno ligado ao esgotamento profissional.

Ademais, cerca de 40% da população adulta no Brasil tem alguma doença crônica, de acordo com o Ministério da Saúde.

Segurança e saúde no trabalho

Os dados mostram a necessidade de olhar com atenção para o assunto. E, como já falamos antes, a prevenção é o melhor caminho para garantir segurança e saúde ao trabalhador.

A medicina integrativa é uma opção para as organizações que desejam fazer esse investimento.

A decisão, além de diminuir os gastos e aumentar a produtividade, influenciará diretamente no bem-estar do profissional.

Gostou? Ficou com alguma dúvida?
Deixe seu comentário!

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter:

Pular para o conteúdo