Dicas ideais para elaborar uma análise de risco do trabalho em altura

05 dicas ideais para elaborar uma análise de risco do trabalho em altura

Você sabia que 40% dos acidentes de trabalho no Brasil estão relacionados a quedas de funcionários em altura, segundo dados do MTE?

Porém, muitos dos acidentes não precisariam ter acontecido se a empresa investisse na segurança e na saúde do trabalhador.

Por isso, daremos 5 dicas ideais para elaborar uma análise de risco do trabalho em altura.

 

Investir em SST pela longevidade do negócio

Em primeiro lugar, quando falamos em investir na segurança do ambiente laboral, estamos nos referindo também à longevidade do negócio. Não apenas porque profissionais com boa saúde física e mental produzem mais, mas pelo fato de que produzem melhor.

 

NR-35: do planejamento até a execução

A Norma Regulamentadora 35 é a que estabelece os requisitos mínimos de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e a execução.

Ou seja, essa NR garante a segurança e a saúde dos trabalhadores envolvidos direta ou indiretamente com trabalhos em altura.

Aliás, a NR 35 determina que toda atividade executada acima de 2m do nível inferior, onde existe o risco de queda, é considerada trabalho em altura.

 

5 dicas ideais para elaborar uma análise de risco do trabalho em altura

A NR-35 determina que realizar a Análise de Riscos (AR) é a primeira ação para garantir segurança ao trabalhador. Ademais, os fatores de risco que podem afetar a segurança do trabalhador devem estar presentes nessa análise.

Quando a AR é feita com eficácia e com base em dados seguros, fica mais fácil prever situações relacionadas às influências externas como, por exemplo, chuva, descarga elétrica, ventos, trânsito e tráfego de pedestres, além de outros fatores que possam colocar em risco a segurança do canteiro de obras ou mesmo da atividade realizada.

  1. Análise do ambiente laboral 

Sabemos que cada ambiente de trabalho tem suas particularidades, por isso, oferecem perigos diversos ao empregado. Sendo assim, a Análise de Risco vai variar conforme o local em que o trabalhador se encontra.

Estudar previamente as ameaças de cada ambiente é primordial para que as pessoas desempenhem suas funções com nenhum ou menor risco.

Conhecer o cenário laboral, dialogar com quem trabalha no local e ouvir os envolvidos e especialistas no assunto são pontos fundamentais para realizar esse tipo de análise.

 

  1. Análise das condições meteorológicas

Não são apenas as quedas que trazem danos à saúde do trabalhador. Condições adversas de tempo também ameaçam a integridade física e segurança dos colaboradores.

A pressão, a temperatura e o sol (queimaduras) podem causar danos às pessoas que trabalham em locais mais altos.

Aliás, prever chuvas fortes e tempestades também evita acidentes com andaimes e outros equipamentos de segurança.

 

  1. Identificação dos riscos de quedas de ferramentas

Já falamos sobre alguns pilares da análise de risco do trabalho em altura, mas a identificação dos riscos de quedas de ferramentas e outros materiais também precisa estar nessa lista.

Para entender a importância desse tópico, basta vislumbrar que durante a rotina do trabalho em altura, alguns colaboradores ficam em pontos mais altos, enquanto outros trabalham abaixo desses profissionais.

Diante disso, a queda de qualquer objeto pode causar lesões graves, inclusive, levando à óbito o trabalhador. Fique atento!

 

  1. A importante lista de riscos

Após identificadas as ameaças no local de trabalho, é importante listar e classificar as mesmas.

Além de promover medidas de prevenção mais eficazes, essa ação garante segurança no ambiente de trabalho.

Aliás, incluir os próprios trabalhadores nessa tarefa é uma dica valiosa. Por conhecerem as adversidades enfrentadas na realização de suas tarefas, eles poderão incluir riscos e ameaças que passariam despercebidas.

 

  1. O tão esperado plano de controle

Depois de concluir as etapas acima, é hora do tão esperado plano de controle.

Analisar os EPI´s adequados para um trabalho em segurança e conscientizar os usuários sobre a importância de utilizá-los corretamente são ações que diminuem os riscos.

A sua equipe deve estar ciente do quanto o uso dos EPIs, além da adoção dos demais procedimentos de segurança, pode evitar acidentes e danos irreparáveis à saúde e vida dessas pessoas.

Agora que você já tem essas 5 dicas ideais para elaborar uma análise de risco do trabalho em altura, lembre-se de estudar as Normas Regulamentadoras para ficar por dentro das exigências e obrigações relacionadas à SST.

Gostou?
Ficou com alguma dúvida?
Deixe seu comentário!

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter:

Pular para o conteúdo