Conheça 3 riscos invisíveis do incêndio

Conheça 3 riscos invisíveis do incêndio

Causa principal de perdas corporativas, os incêndios e explosões são responsáveis por mais da metade do montante de sinistros nos últimos 5 anos, segundo publicação da Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS).

Porém, antes de qualquer coisa é fundamental compreender o ambiente laboral e quais são os fatores que colaboram para que o incêndio aconteça.

Muitos gestores acreditam que perigo de incêndio é o mesmo que risco de incêndio. Embora sejam parecidos, os dois termos possuem causas e consequências bem diferentes.

Todo ambiente laboral corre perigo de incêndio, mas isso não significa que corra risco de incêndio. É sobre isso que iremos tratar no artigo de hoje.

Você sabe identificar os riscos invisíveis do incêndio na sua empresa?

1. A presença de resíduos acumulados

Resíduos acumulados podem fazer o fogo se alastrar em ocorrência de incêndio. Os resíduos perigosos são aqueles que apresentam riscos à saúde dos trabalhadores. Em função de suas características de inflamabilidade, corrosividade, reatividade, entre outras.

Restos de tinta, material hospitalar, produtos químicos e radioativos, lâmpadas fluorescentes, pilhas e baterias, entre outros resíduos devem ser tratados de forma especial. E, claro, uma gestão adequada é o primeiro passo para que as empresas contribuam para um meio ambiente mais saudável.

Por isso, os resíduos perigosos, não só devem ser armazenados separadamente, como também ser transportados em diferentes veículos, que precisam possuir placa de identificação e receber uma destinação final específica e adequada.

Além disso, conscientizar os colaboradores sobre o manuseio de cada resíduo ou os riscos que eles correm é fundamental para que haja uma ação conjunta de proteção laboral.

2. Cigarros e falha humana são protagonistas dos incêndios

Todo gestor devem exigir que os cigarros fiquem longe de produtos inflamáveis. Ele oferece risco, não apenas para quem está fumando, mas também para todas as pessoas presentes nas instalações da companhia.

Além disso, falhas na rede elétrica por conta de erros na manutenção também são grandes causadores de incêndios. Faça a manutenção da rede elétrica e da sobrecarga das tomadas, o que ocasionam curtos circuitos que podem resultar em queimaduras, perda de equipamentos e dar início a um grande incêndio.

Evidentemente, as “gambiarras” não devem ser feitas em hipótese alguma, bem como não se deve ligar diversas máquinas em um mesmo sistema. Tudo isso gera sobrecarga e riscos sérios de fogo.

3. Falta de gestão de Segurança e Saúde do Trabalho (SST)

Acredite, essa também é uma das maiores causadoras de incêndios nos ambientes laborais. A CIPA, por exemplo, é um dos instrumentos mais valiosos que sua operação de segurança pode contar. É a comissão cujo objetivo é fiscalizar as condições laborais, avaliar riscos e cuidar das possíveis soluções para tudo isso.

É por meio dela ocorrem encaminhamentos de propostas de melhoria da Segurança e Saúde no Trabalho, contando com a participação dos trabalhadores, que deixam de ser entes passivos e passam a ter papel de protagonista ativo nesta construção.

É um cenário que traz segurança para o empregador, como também protege os funcionários e a sociedade como um todo. E isso ganha um peso ainda maior quando vivemos, em uma pandemia que redobrou os cuidados em termos de segurança ocupacional.

Quer saber mais como a CIPA é fundamental para sua empresa? Leia nosso artigo sobre o assunto aqui.

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter: