Confira as Dicas para fazer o DDS

Você tem conseguido bons resultados com o DDS na sua empresa? Tem dificuldade para prender a atenção dos trabalhadores?

Vejo que essa é uma dificuldade de muitos profissionais de segurança, principalmente no começo de carreira.

O Diálogo Diário de Segurança é uma ferramenta muito utilizada nas empresas, principalmente pelo setor de Segurança e Saúde no Trabalho.

O DDS é uma conversa com os trabalhadores sobre os riscos presentes no trabalho ou na atividade e sobre as medidas de controle a serem aplicadas.

É um recurso que deve ser utilizado para conscientizar, informar os trabalhadores e auxiliar no desenvolvimento da cultura de segurança. Essa ferramenta poderá ser mais bem explorada se emprega em conjunto com o PGR (Programa de Gerenciamento de Riscos). Vejo a sua aplicação, principalmente quando realizo a leitura do item 1.5.5.1.3 que diz que a implantação de medidas de prevenção deverá ser acompanhada de informação aos trabalhadores quanto aos procedimentos a serem adotados e limitações das medidas de prevenção.

Ou seja, sempre que a organização implementar uma medida de prevenção prevista no plano de ação, para minimizar, controlar ou eliminar um risco conforme levantado no Inventário de Risco. O trabalhador precisará receber informações de como funciona essa medida e se possui alguma limitação.

Claro que o DDS não será a única forma de fazer e nem deve ser! Cada ação poderá ter uma forma mais indicada, como: treinamento, ordem de serviço, campanhas e outros.

O Dialogo é geralmente realizada antes do início do expediente, sendo conduzido por um profissional de segurança ou um líder de equipe.

Porém, muitas vezes alguns trabalhadores não dão a devida importância para a participação efetiva no DDS.

Então, Como fazer um DDS mais produtivo ?

Aqui vão as 13  dicas para a realização de um DDS mais eficiente:⠀

1 – Crie uma rotina de DDS no ambiente de trabalho e informe a equipe sobre o local, horário e principalmente os motivos que levam ao Diálogo Diário de Segurança.

Essa rotina deve ser sempre seguida, garanta pontualidade! É preciso que os trabalhadores percebam que é importante este momento. Se você, sempre realiza o DDS de maneira desorganizada ou com atrasos, existe um risco que os trabalhadores comecem a desconfiar da importância do evento.

2 – Estabeleça um objetivo para aquele DDS;

Ou seja, o que você deseja com aquele DDS. Quer que as pessoas cheguem a alguma conclusão ao final? Quer que elas saibam usar algum equipamento? Quer corrigir um erro frequente nas atividades?

3 – Escolha temas próximos da realidade dos trabalhadores;

Busque temas que tem relação com a atividade realizada pelos trabalhadores. Evite temas muitos genéricos.

4 – Traga exemplos;

Mostre aos trabalhadores como aplicar aquilo que você está falando. Ex: Você vai falar do uso correto do cinto, então demostre como usar corretamente.  Mostre fotos, mostre em que momento aquilo é aplicável, conte uma história para contextualizar.

⠀5 – Incentive a participação de todos os profissionais, determinando o comando de um profissional diferente a cada dia; chame a liderança para trazer um tema, peça a eles para contar alguma situação ocorrida durante a sua vida laboral e como foi aplicado medidas de segurança

⠀6 – Use uma linguagem simples;

Isso é fundamental, lembre-se que uma boa comunicação depende mais do que a pessoa entende, que do que você fala. Evite palavras que não são de entendimento de todos. Ajuste o seu vocabulário ao seu público alvo.

⠀7 – Não faça DDS longo: 10 a 15 minutos são suficientes;

Não delongue muito o DDS e seja objetivo.

⠀8 – Convide profissionais de outras áreas para participar;

Convidar pessoas diferentes para fazer o DDS, pode deixar mais interessante.

9 – Pergunte aos trabalhadores quais temas podem ser mais relevantes;

É preciso ouvir os trabalhadores. Faça uma pergunta simples: O que você gostaria que fosse falado no DDS?

Deixe sempre bem claro que está muito aberto a sugestões, muitas pessoas têm vergonha de falar, então você precisa incentivar. É preciso uma relação de confiança

10 – Evite usar o DDS para tratar de assuntos pouco relevantes para a segurança dos trabalhadores;

Temas como dia da árvore, dia da água e outros devem ser evitados e podem ser tratados em outras formas de comunicação.

11 – Eventualmente procure fazer alguma dinâmica ou algo prático.

12- Evite dispensar do tema.

Mantenha o foco no objetivo. Mas não se esqueça de deixar uma abertura para perguntas e opiniões sobre o tema.

⠀13-  E ao final promova uma  reflexão  sobre o tema.

Não deixe de fechar o diálogo com uma conclusão ou uma ação e chame os trabalhadores para a ação .

Seguindo essas dicas, acredito que seu DDS poderá ser mais produtivo!

Claro que não pode deixar de registrar com uma lista de presença com a data, assunto e assinaturas.

Assim a minha diga de gestão de hoje não poderia ser diferente:  Tenha o DDS como uma ferramenta indispensável na sua Gestão de Risco e faça com que ela seja sempre mais eficiente.

\"\"Wesley Silva
· Engenheiro de Produção e de Segurança do Trabalho;
· Pós-graduado em Ergonomia e Direito Trabalhista e Previdenciário;
· Diretor Técnico da Innove Consultoria e Treinamentos;
· Instrutor e palestrante em diversos cursos;
· Consultor em Segurança do Trabalho em empresas do ramo de construção civil, mineração e telecomunicações.
· Ha 13 anos atuando com gestão de segurança do trabalho.

Os artigos reproduzidos neste blog refletem única e exclusivamente a opinião e análise de seus autores. Não se trata de conteúdo produzido pela RSData, não representando, desta forma, a opinião legal da empresa.

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter:

Pular para o conteúdo