Comunicação de Riscos: Qual a Sua Importância no Gerenciamento de Riscos?

Um dos elementos do Gerenciamento de Riscos Ocupacionais é a comunicação dos riscos.

A comunicação do risco consiste em um processo e os canais de compartilhamento de informações relacionadas aos riscos identificados em toda a estrutura da organização, incluindo todas as partes interessadas.

O compartilhamento de informações e percepções dos riscos, obtidas a partir das fases de identificação e avaliação dos riscos, irá auxiliar na tomada de decisão. Um ponto fundamental é que a gestão de risco deve incluir uma comunicação e feedbacks sobre a eficácia desse processo até o nível mais alto da tomada de decisão na organização.

A “ nova NR01” possui em seu texto alguns itens que trazem essa necessidade de comunicar ao trabalhador informações sobre os riscos, sendo o trabalhador uma das partes interessadas.

Item 1.4.1 alínea “b” cabe ao empregador informar aos trabalhadores os riscos ocupacionais existentes nos locais de trabalho, as medidas de prevenção adotadas pela empresa para eliminar ou reduzir tais riscos e os resultados das avaliações ambientais realizadas nos locais de trabalho.

Além do item 1.5.3.3 a organização deve adotar mecanismos para: consultar os trabalhadores quanto à percepção de riscos ocupacionais, podendo para este fim ser adotadas as manifestações da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA, quando houver e comunicar aos trabalhadores sobre os riscos consolidados no inventário de riscos e as medidas de prevenção do plano de ação do PGR (Programa de Gerenciamento de Riscos).

Segundo Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission (COSO) uma comunicação confiável provê à administração informações exatas e completas, adequadas ao que se propõe. A comunicação oferece suporte ao processo decisório da administração e ao acompanhamento das atividades e do desempenho da organização. A comunicação também relaciona-se com os relatórios e inventários de riscos preparados para divulgação externa.

As informações relevantes sobre os riscos são identificadas, colhidas e comunicadas da forma e no prazo que permitam cumprir suas responsabilidades. A comunicação eficaz também ocorre em um sentido mais amplo, fluindo em todos níveis da organização.

Uma das questões mais importantes quando detectamos ou identificamos um risco ou incerteza é a velocidade com que vamos analisar, classificar e comunicar o risco para uma tomada de decisão.

Vamos pensar no risco biológico Sars-Cov-2, que foi causador da COVID-19. Segundo os pesquisadores, ele foi inicialmente observado em dezembro de 2019, na cidade de Wuhan.

O quanto foi importante a comunicação em rede mundial para a tratativa do risco e como falhas na comunicação criaram vários entendimentos sobre ele? Informações diferentes levaram a decisões diferentes em cada localidade. Mas o risco não era o mesmo?

O mesmo risco, com a mesma probabilidade e severidade, recebeu medidas de controle diferentes em localidades como: cidades, estados e países.

Assim, precisamos entender que, quanto mais rápido o risco for comunicado às partes interessadas, mais rápidas serão as decisões e menor será o seu potencial de dano. Da mesma forma, quanto melhor a qualidade da informação, melhor será a qualidade da resposta ao risco ou das medidas propostas e implementadas.

Wesley Silva
Engº de Produção e de Segurança do Trabalho;
Especializado em Ergonomia e Direito Trabalhista e Previdenciário;
Diretor técnico da Innove Consultoria e Treinamentos;
Instrutor e palestrante em diversos cursos;
Consultor em Segurança do Trabalho, especialista em Gestão de SST;
Atuante no ramo de Mineração, Telecomunicações e Alimentício.
@inovetreinamento |innove.treinamentos@hotmail.com

Os artigos reproduzidos neste blog refletem única e exclusivamente a opinião e análise de seus autores. Não se trata de conteúdo produzido pela RSData, não representando, desta forma, a opinião legal da empresa.

 

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter:

Pular para o conteúdo