Como se implementa o PGR?

O Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR) é resultado de um processo de modernização da legislação trabalhista brasileira, onde o governo federal vem realizando uma série de atualizações nas normas regulamentadoras. Uma delas foi a eliminação do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e a criação do Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR).

É a NR-1 que estabelece os critérios gerais de todas as normas regulamentadoras, além dos requisitos para o PGR e as medidas de prevenção em Segurança e Saúde no Trabalho. 

No artigo de hoje, vamos esclarecer como se implementa o PGR.

Qual a missão do PGR?

O PGR tem como missão reduzir custos e burocracias para implementação e aumentar os prazos de renovação do documento, especialmente quando comparado a outros programas de segurança, saúde ocupacional e prevenção de acidentes.

Como se implementa o PGR?

O PGR engloba duas ações importantes: o Inventário de Riscos e o Plano de Ação.

O Inventário de Riscos Ocupacionais deve contemplar, no mínimo:

a) caracterização dos processos e ambientes de trabalho;

b) caracterização das atividades;

c) descrição de perigos e de possíveis lesões ou agravos à saúde dos trabalhadores, com a identificação das fontes ou circunstâncias, descrição de riscos gerados pelos perigos, com a indicação dos grupos de trabalhadores sujeitos a esses riscos, e descrição de medidas de prevenção implementadas;

d) dados da análise preliminar ou do monitoramento das exposições a agentes físicos, químicos e biológicos e os resultados da avaliação de ergonomia nos termos da NR17;

e) avaliação dos riscos, incluindo a classificação para fins de elaboração do plano de ação; 

f) critérios adotados para avaliação dos riscos e tomada de decisão.

É fundamental que as empresas compreendam que o PGR é um Programa, portanto, deve ser contínuo. Avaliar cada risco a que o trabalhador está exposto, classificar esses riscos e com essa informação construir um plano de ação, dando prioridade aos riscos com maior classificação são ações que devem ser feitas constantemente. 

Para isso, é preciso que cada organização estabeleça os critérios para avaliação dos riscos e com base nesse processo, possa tomar decisões para a tratativa de cada risco. Já as tratativas precisam ser inseridas em um plano de ação que seja claro e objetivo. 

Investir em tecnologia é evitar problemas futuros 

Um conjunto de ações e recursos estabelecidos dentro de uma estrutura de planejamento, cedo ou tarde se torna imprescindível na amortização de danos à vida, à saúde, à propriedade e ao meio ambiente, gerando segurança, produtividade e tranquilidade para os gestores.

São dois os caminhos possíveis para esse futuro que já chegou: esperar ou movimentar-se. Decidir de qual lado você vai estar é o mais importante para que o seu negócio esteja sempre em linha reta.

Conte com a RSData para ajudar a proteger seus empregados e gerir esse processo.

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter: