AMÔNIA: O QUE É E COMO PROTEGER COLABORADORES?

A amônia é muito usada no refino de petróleo, como insumo na fabricação de produtos farmacêuticos e, especialmente, como gás refrigerante nos processos de resfriamento de câmaras frigoríficas e ar condicionado industrial. Na agricultura, a amônia também é usada para fabricar fertilizantes.

Podemos dizer que a amônia (NH3) é um gás que se forma pelo átomo de nitrogênio + três átomos de hidrogênio. Os problemas decorrentes desse agente podem ser ambientais ou de saúde.

Essa espécie de gás é inimigo das vias respiratórias, olhos e pele. As consequências do uso sem proteção adequada vão desde irritações oculares leves até doenças graves como edema e fibrose pulmonar.

A melhor forma de evitar que doenças aconteçam é utilizando corretamente os EPI’s e trabalhando na prevenção. A tecnologia é uma grande das empresas aliada nesse processo.

Veja exemplos práticos de como reconhecer agentes químicos.

A amônia quanto ao limite de exposição:

A NR-15 determina que o limite de tolerância do funcionário à amônia seja de 20 ppm ou 14 mg/m³, para uma jornada de até 48h/semanais. Segundo a American Conference of Governmental Industrial Hygienists Average (ACGIH), o limite à exposição é de 25 ppm ou 17mg/m³.

Amônia e prevenção: dupla necessária para garantir segurança

Vale ressaltar alguns tópicos da NR36 referentes a esse agente químico, especialmente quando à prevenção. São eles:

36.9.3.1 A empresa deve adotar medidas de prevenção coletivas e individuais quando da utilização de produtos químicos.

36.9.3.2 As medidas de prevenção coletivas a serem adotadas quando da utilização de amônia devem envolver, no mínimo:

a) manutenção das concentrações ambientais aos níveis mais baixos possíveis e sempre abaixo do nível de ação (NR 09), por meio de ventilação adequada;

b) implantação de mecanismos para a detecção precoce de vazamentos nos pontos críticos, acoplados a sistema de alarme;

c) instalação de painel de controle do sistema de refrigeração;

d) instalação de chuveiros de segurança e lava-olhos;

e) manutenção de saídas de emergência desobstruídas e adequadamente sinalizadas;

f) manutenção de sistemas apropriados de prevenção e combate a incêndios, em perfeito estado de funcionamento;

g) instalação de chuveiros ou sprinklers acima dos grandes vasos de amônia, para mantê-los resfriados em caso de fogo, de acordo com a análise de risco;

h) manutenção das instalações elétricas à prova de explosão, próximas aos tanques;

i) sinalização e identificação dos componentes, inclusive as tubulações;

j) permanência apenas das pessoas autorizadas para realizar atividades de inspeção, manutenção ou operação de equipamentos na sala de máquinas.

Em caso de vazamento de amônia, o painel de controle do sistema de refrigeração deve:

a) acionar automaticamente o sistema de alarme;

b) acionar o sistema de controle e eliminação da amônia.

36.9.3.3 O empregador deve elaborar Plano de Resposta a Emergências que contemple ações específicas a serem adotadas na ocorrência de vazamentos de amônia.

36.9.3.3.1 O Plano de Resposta a Emergências deve conter, no mínimo:

a) nome e função do responsável técnico pela elaboração e revisão do plano;

b) nome e função do responsável pelo gerenciamento e execução do plano;

c) designação dos integrantes da equipe de emergência, responsáveis pela execução de cada ação;

d) estabelecimento dos possíveis cenários de emergências, com base na análise de riscos;

e) descrição das medidas necessárias para resposta a cada cenário contemplado;

f) descrição dos procedimentos de resposta à emergência, incluindo medidas de evacuação das áreas, remoção das fontes de ignição, quando necessário, formas de redução da concentração de amônia e procedimentos de contenção de vazamento;

g) descrição das medidas de proteção coletiva e individual;

h) indicação dos EPI adequados ao risco;

i) registro dos exercícios simulados realizados com periodicidade mínima anual envolvendo todos os empregados da área.

36.9.3.4 Sempre que ocorrer acidente que implique vazamento de amônia nos ambientes de trabalho, deve ser efetuada a medição da concentração do produto no ambiente para que seja autorizado o retorno dos trabalhadores às suas atividades.

36.9.3.4.1 Deve ser realizada avaliação das causas e consequências do acidente, com registro das ocorrências, postos e locais afetados, identificação dos trabalhadores expostos, resultados das avaliações clínicas e medidas de prevenção a serem adotadas.

Quer ler mais conteúdos como esse? Acesse o blog da RSData e fique por dentro.

Categoria

Últimas Postagens

Siga a RSData

Inscreva-se em nossa Newsletter:

Pular para o conteúdo